Beterraba Vermelha

A beterraba vermelha é um produto hortícola de raiz; a parte utilizável é constituída pelo tubérculo hipocótilo. O seu cultivo em pequenas hortas está muito difundido, mas o grosso da superfície cultivada concentra-se nas províncias de Sevilha, Segóvia, Cádiz e Valhadolide. Vocacionada tanto para o mercado de produtos frescos (onde é vendida em molhos) como para a indústria (sobretudo cozida e acondicionada sob vácuo, no setor industrial de produtos hortículas cortados e acondicionados; também com algum relevo ao nível das conservas acondicionadas em vidro). O valor energético das raízes é de aproximadamente 34 calorias/100 g e o teor de açúcar é de 5,6 %; possui um baixo teor vitamínico, mas considerável ao nível de fibra e minerias.

As regiões temperadas húmidas oferecem as condições ideais para o cultivo da beterraba vermelha, embora também se adapte bem a verões continentais e tenha uma boa resistência ao frio; no entanto, o seu crescimento é interrompido a temperaturas inferiores a 5° C. Praticamente adptável a todo o tipo de terrenos, em locais com profundidade, frescos, bem drenados e com matéria orgânica, com pH neutro ou subalcalino, suporta altos níveis de salinidade. De evitar, porém, a seca prolongada e o stresse hídrico, que leva à interrupção do crescimento e à malformações das raízes, capazes de arruinar quer as quantidades produzidas quer a sua qualidade.

A densidade de sementeira varia, dependendo do tamanho pretendido:
- tamanho G, entre 30 a 50 g ("beterraba de mesa bebé"): 1.500 sementes/ha (120 plantas/m²)
- tamanho entre 50 a 100 g: 1.000 sementes/ha (90 plantas/m²)
- tamanho entre 100 a 300 g: 650.000 a 750.000 sementes/ha (55 a 65 plantas/m²)
- tamanho entre 300 a 500 g: 400.000 a 450.000 sementes/ha (36 a 40 plantas/m²)
Ler mais
Avançar