O Conselheiro de água, agricultura, pecuária, pesca e ambiente de Múrcia, Antonio Luengo, visitou ontem a Herdade Experimental El Aljibe de Bejo, onde conheceu pessoalmente o trabalho de investigação e desenvolvimento levado a cabo pela empresa na região. A acompanhá-lo esteve Víctor Serrano, Diretor do Instituto Murciano de Investigação e Desenvolvimento Agrário e Alimentar (IMIDA).

O conselheiro destacou o trabalho que a Bejo está a realizar na “investigação, inovação e desenvolvimento de novas variedades adaptadas às necessidades e exigências do mercado e da sociedade”, dado que “o êxito da agricultura na Região de Múrcia vai mais além do processo do cultivo de frutas e hortaliças”.

E teve a oportunidade de constatá-lo em El Aljibe de Bejo, onde se combinam as duas ações: cultivo e investigação, “avaliando mais de 20 variedades de culturas por ano, observando as respetivas resistências face a doenças, a sua cor, sabor, produtividade…” e criando novas culturas, como o espargo roxo Erasmus, a Kale roxa ou REDI, uma nova hortaliça com uma atrativa cor roxa, que já possui vários reconhecimentos, com destaque para o prémio Innovation Hub Fresh Product atribuído na anterior Feira Fruit Attraction 2020.

Teve também oportunidade de verificar o compromisso da Bejo com o ambiente e a sustentabilidade, apostando nas energias renováveis e travando a descarga de águas torrenciais no Mar Menor mediante a construção de três pântanos que, por outro lado, regeneram, oxigenam e depuram estas águas, assim como na polinização natural das suas plantas com a ajuda dos seus melhores parceiros: as abelhas.

O êxito da agricultura na Região de Múrcia vai mais além do processo do cultivo de frutas e hortaliças

Antonio Luengo - Conselheiro de agricultura de Múrcia